top of page
  • Foto do escritorTherbio Felipe

Circuito de Cicloturismo Desafio de Anita

O Circuito de Cicloturismo Desafio de Anita une as cidades-irmãs de Laguna e Tubarão, junto ao litoral sul do estado de Santa Catarina. Aliás, este estado segue fazendo história ao lançar sempre um novo circuito para os cicloturistas, constituindo-se em mais um grande produto turístico e que gera novas economias.

Imagem de Anita Garibaldi, em Laguna, esculpida por Antônio Caringi - Foto: Therbio Felipe

Em tempo, a expressão ‘desafio’, presente na denominação do circuito, originada do latim disfidare, quer indicar uma positiva aposta, um convite ousado a jogar-se às jornadas na companhia da própria confiança, em direção a revisitar a memória das paisagens e da cultura de um povo.


O nome do circuito é uma homenagem das idealizadoras e gestoras, Prika Lourenço e Ângela Finardi, empresárias da Encantos do Sul Operadora de Viagens, àquela que é considerada a Heroína de Dois Mundos, a revolucionária catarinense Ana Maria de Jesus Ribeiro, mais conhecida como Anita Garibaldi.


O percurso de 132 km foi escolhido e traçado para privilegiar tanto as estâncias junto ao mar, os sítios históricos e arquitetônicos, quanto as áreas onde as águas termais têm repouso, no início da transição para as terras altas. E, por falar em altimetria, o acumulado nos três trechos é de pouco mais de 500m de elevação. E qual o motivo disto?

Desafio de Anita - Marco Zero - Foto: Therbio Felipe

Vale destacar a preocupação em tornar o traçado do circuito viável, também, para cicloturistas iniciantes, contribuindo para o expressivo aumento de novos ciclistas neste segmento turístico. É importante reforçar que, quanto mais cicloturistas houver, mais o turismo será impactado por um processo humanizador e sustentável da atividade, o que é bom para o ambiente, para a comunidade, empreendedores e poder público.


Idealizado para ser percorrido com calma em três dias de pedalada, o Desafio de Anita tem início e término no Rio do Pouso Termas Hotel, onde a hospitalidade, boa mesa e banhos em águas convidativas são parte de uma equação que dá certo. Totens com placas diretório e sinalização vertical acessória estão dispostos pelo percurso, indicando a progressão do ciclista, os atrativos do trecho e check points, além da quilometragem por trecho.


Ao passar pela Ponte Baixa sobre o Rio Tubarão, logo nos primeiros quilômetros de pedalada, o cicloturista ingressa na viagem por um tempo, um lugar e um sentido. Aos poucos, o percurso de 59,5km do primeiro trecho leva ao Museu Ferroviário de Tubarão, onde fragmentos de composições, máquinas e vagões em competente estágio de restauro apresentam parte da história da Estrada de Ferro Dona Tereza Cristina.



Seguindo o pedalar, chega-se ao Memorial de Anita, em Morrinhos, onde a inscrição hic nacitur annita itálica gens posuit e um painel feito pelo artista tubaronense Willy Alfredo Zumblick, um dos mais representativos artistas plásticos catarinenses, homenageiam a memória da revolucionária.


O local, à época do nascimento de Anita, pertencia a Laguna e, hoje, pertence a Tubarão. Percebem a relação entre Anita, Tubarão e Laguna? Então, quero assim afirmar que, Anita e seu legado de coragem e não conformismo, mais do que das duas cidades, são do mundo.


Seguindo pedal adentro pela Estrada Geral da Madre, de onde se tem uma vista do skyline da querida Tubarão, o cicloturista se dirige a dois encontros únicos: o primeiro, com um mar de tirar o fôlego da Praia do Cardoso e, o segundo, com a fantástica contemplação do Farol de Santa Marta e sua Prainha, berço de economia criativa e de organização comunitária, surf e Boi de Mamão.

Divisa Praia do Camacho/Farol de Santa Marta - Foto: Therbio Felipe

Para abandonar o Farol de Santa Marta e sua gente incrível, pedale sem pressa contornando as dunas da Praia Grande pela Estrada Laguna Cinquenta. Atente e busque informações para acessar as praias da Galheta, Cigana, Ypuã, Ilhota, Teresa, Manelome, Gravatá e Ponta do Tamborete, pois algumas delas dependem de acesso realizado por trilha.


O trecho oferece ainda vistas à esquerda, de quem segue sentido Laguna, das paradisíacas Lagoa de Jaguaruna e Lagoa do Imaruí, até chegar às pequenas pontes sobre os ilhotes da Barra.


Antes de cruzar o Canal da Barra pelo bote, até os molhes do lado oposto, observe os vários grupos de golfinhos dando espetáculo ao auxiliar os pescadores no tarrafear. Estamos falando de uma comunidade tradicional que preserva sua identidade e seus ofícios. Respeite.

Após cruzar a barra, pedale pela Praia do Mar Grosso de Laguna, onde encontrará boas opções de hospedagem, algumas delas, bike friendly. Contornando o Morro da Glória, se acessa o Centro Histórico de Laguna, tombado pelo IPHAN - Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1985, passando pelas docas junto ao Mercado Municipal.


Desça da bike, é a sugestão, porque há uma enormidade de prédios conservados que merecem, além da observação atenta, centenas de fotos.


Dentre eles, destacamos o Cine Teatro Mussi, a Matriz de Santo Antônio dos Anjos, o Museu Casa de Anita, o Museu Histórico e a Casa de Câmara e Cadeia, entre centenas de outros tantos. Depois desta reverência, siga pedalando tranquilo.

Monumento à Anita - Autor: Antônio Caringi - Foto: Therbio Felipe

À Praça da República Juliana, têm-se uma visão do conjunto arquitetônico e da imponente estátua de Anita Garibaldi (1964), obra do escultor pelotense Antônio Caringi, considerado o maior estatuário da história da arte no Rio Grande do Sul.


Se preferir, espere o anoitecer, deixe a bike no bicicletário da Piazza Pizzaria, deguste empanadas argentinas, ou quem sabe um brunch aos sábados, e contemple-se nos sinais do tempo.


A imagem de Anita, inclusive, é fortemente associada à revolução que está sendo conduzida na região por conta da implantação consciente de um circuito de cicloturismo. Tanto é que a própria logo do circuito traz a figura de Anita ao lado de uma bicicleta, ambas modernas diante de uma ideia absolutamente à frente de seu tempo. Revolução consciente.


Por fim, o terceiro trecho, regressando ao Rio do Pouso Termas Hotel, passa ao lado da Ponte Anita Garibaldi, num projeto estaiado com quase 3km de extensão, e que pode ser devidamente observada costeando a Estrada de Ferro Tereza Cristina, desde a Ponta das Laranjeiras, contrastando com a Lagoa de Cabeçudas e os bairros da costa.


Prika Lourenço e Angela Finardi, idealizadoras do Circuito Desafio de Anita - Foto: Therbio Felipe

O restante do caminho adentra os espaços rurais, onde a agricultura de subsistência e pequenos empreendimentos, distantes do centro urbano, buscam sobreviver.


O cicloturismo pode ser ou dar um novo alento a estes ambientes, principalmente com novos negócios voltados ao desenvolvimento rural sustentável e à economia criativa.

Viva o Circuito Desafio de Anita!

 


111 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page